alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







mercoledì 14 marzo 2012

da POESIA ou CONVERSA DE CORREDOR UNIVERSITÁRIO


DA POESIA ou
CONVERSA DE CORREDOR UNIVERSITÁRIO

(...)
Mas, quando pensar na pérola, vencerá o medo, e a Poesia se intensificará em seu corpo e lhe dará vida. Seus poros respirarão dentro das águas profundas.
Não é uma lição – e fogo de vida e intensidade! O Poeta não ensina – o Poeta vai! Ele leva você a ver do alto, a voar alto, a mergulhar, a mergulhar ao fundo.

Quer a lição ou o vôo? Quer o conceito ou o mergulho?

A mágica da Poesia é receber asas de águia, para voar alto – quer? E receber fôlego, para mergulhar como o Poeta ao fundo, e encontrar pérolas – quer, também?
Então, se você ouvir a Poesia e descobrir de que são formados os beijos do Homem-Poeta, descobrirá a Poesia-Mulher, e pedirá para voar alto, bem alto. E para ver as pérolas que lhe fazem falta ao fundo, se vencer o medo do profundo.

Enquanto a noite não vem, desenharei as asas que erguerão você ao alto, para o bem alto. E juntarei o ar de que precisa para o mergulho.

Sabe mergulhar? Tem fôlego para ir ao fundo, onde apenas seres de verdade se encontram e se descobrem, onde pérolas se fazem com o ritmo do tempo sem pressa e sem contas?

Porque a Poesia fará bem em qualquer tempo – hoje e amanhã. O passeio na intensidade poética amadurece e robustece qualquer pessoa. Porque o Poeta tem o amor mais doce, o amor mais puro, o amor mais delicado, o amor mais inocente, o amor mais liberto e intenso – o amor-suavidade! O amor do Poeta é o amor que humaniza!

Darias um café com espuma de leite a este poeta?
(...)

Pietro N Dellova, in A MORTE DO POETA NOS PENHASCOS E OUTROS MONÓLOGOS, Ed. Scortecci, 2009, pág 61-78
*

Nessun commento: