alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







lunedì 2 aprile 2012

O Novo Código Florestal e o processo de desertificação

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO, os TRABALHADORES RURAIS, os RURALISTAS e a DESERTIFICAÇÃO (...) e, falando em floresta, é bom que não se confundam os conceitos de TRABALHADORES RURAIS com o de RURALISTAS. O primeiro refere-se a todos os que trabalham a terra, produzindo alimentos e realizando uma das mais (talvez, a maior) atividade humana e, por isso mesmo, merecem não apenas a posse e propriedade da terra, mas, a proteção jurídica, a organização cooperativa e a educação agrícula. O segundo, para ser bem preciso, refere-se a exploradores, latifundiários, destruidores de florestas, bancada ruralista e outros monstros, cujos objetivos sempre foram (desde a invasão das terras sulamericanas no século XIV e XV) o de explorar, matar, destruir e enriquecer seus próprios baús. Por isso mesmo, merecem o desprezo da Sociedade, o rigor da Justiça e, em muitos casos, a dureza de uma cela! A Presidente (e se quiser, presidentA) do Brasil, Dilma Rousseff, tem neste momento uma razão para mostrar a quem serve, a que veio, a quem teme e qual é seu parâmetro político, econômico e social! Sua formação é bem diferente daquela de seus antecessores, pois não se formou na teoria dos bons estudos sociológicos, como Fernando Henrique, nem nos justos embates sindicais de categoria, como Lula (outros, anteriores a estes, não merecem lembrança). Sua formação, ou seja, de Dilma, tem um outro senso, uma outra substância e uma outra dimensão – a política libertária! Por isso mesmo, reúne todas as condições, além de sua popularidade altíssima, para VETAR completamente o Novo Código Florestal – escrito e aprovado para beneficiar ruralistas, entre os quais, o indigesto Caiado! Vetar lhe causará problemas no Congresso brasileiro, formado (em grande parte) por fisiologistas, mercenários, cambistas, mafiosos, estelionatários, corruptos e corruptores, ricos ilícitos, religiosos desleais, bancadas pancadas, homofóbicos, racistas, ruralistas e outros tipos que nada têm com democracia e povo. Aliás, foi exatamente contra estes tipos (e estes que aí estão) que ela marcou sua vida de luta política. De fato, ao vetar, ela terá problemas com isso, mas, por outra parte, será reconhecida como um Presidente (ou uma PresidentA) capaz de dar rumo às Políticas sociais, incluindo-se aí, a do meio ambiente. VETAR é o que o Povo, pelo qual tantos morreram ao seu lado, reclama! (...) Pietro Nardella Dellova, in O NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO, 2012 (texto completo no Blog Caffè Diritto Poesia) * FOTO: processo de desertificação das terras brasileiras, fenômeno que se verifica em várias regiões do Brasil, exploradas, degradas e abandonadas, desde a Mata Atlântica, Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e, agora, em ritmo acelerado, na região amazônica!

Nessun commento: