alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







venerdì 1 febbraio 2013

reflexão sobre a Parashá ITRÒ


ITRÒ (em português)
Parashá Itró: Shemot 18 a 20 (completa)

REFLEXÃO: SHEMOT (Gen) 18:21 :

(...)
 וְאַתָּ֣ה תֶֽחֱז֣ה מִכָּל־הָ֠עָם אַנְשֵׁי־חַ֜יִל
יִרְאֵ֧י אֱלֹהִ֛ים אַנְשֵׁ֥י אֱמֶ֖ת שֹׂ֣נְאֵי בָ֑צַע
וְשַׂמְתָּ֣ עֲלֵהֶ֗ם שָׂרֵ֤י אֲלָפִים֙ שָׂרֵ֣י מֵא֔וֹת
שָׂרֵ֥י חֲמִשִּׁ֖ים וְשָׂרֵ֥י עֲשָׂרֹֽת׃

(...)

Quando Itró, o sogro de Moshè, foi visitá-lo e, após ouvir de Moshè tudo quanto o Eterno havia feito, observou que Moshè se encontrava sozinho ministrando justiça diante de seu povo. Então, Itró deu um conselho a Moshè. Que escolhesse homens que pudessem ajudá-lo, homens com qualidade dentre o povo. Quatro características/conceitos deveriam haver nos homens que Moshè escolheria para o auxiliarem diante do povo:

Eis as características de tais homens (Shemot 18:21), primeiramente em hebraico e, a seguir, transliterado:

חַ֜יִל
יִרְאֵ֧י אֱלֹהִ֛ים
אֱמֶ֖ת
שֹׂ֣נְאֵי בָ֑צַע


1) anshei-"chayil" (homens de valor, princípios, caráter)
2) yir'ei Elokhim (tementes e respeitosos aos Elokhim - forças de justiça da criação)
3) anshei "emet" (homens leais, verdadeiros)
4) son'ei vatsa (que odeiem a injustiça, sendo que aqui, odiar não no sentido passivo da imobilidade, mas no sentido transformador, ou seja, sentir a injustiça e agir para mudá-la, transformá-la em justiça)

1) Homens de valor anshei-chayil, princípios, caráter, são aqueles que desenvolveram a sua vida, à luz da Torá, aprendendo, a cada dia e oportunidade, a concretizar as Mitzvôt. Princípios são aqueles pontos de valor em torno do qual se constrói uma conduta, um pensamento, um juízo!

2) Homentes tementes e respeitosos aos Elokhim yir'ei Elokhim. São aqueles que sabem quais são as Forças da Criação. É de se notar que aqui não se trata apenas de uma conduta de veneração ao Eterno (TETRAGRAMA), pois não aparece as quatro letras do TETRAGRAMA. Aparece a expressão ELOKHIM que aparece em todo o capítulo da criação do mundo (a pluralidade dos espíritos do Eterno ou os sete espíritos na linha debaixo da Árvore Sefirótica). Elokhim ou Elohim é a palavra que aparece quando os filhos de Israel clamam por "justiça" diante da opressão do Faraó! Esta expressão está sempre relacionada à Justiça! Não se trata aqui de homens "religiosos", mas de homens que têm a consciência de que há ELOKHIM (a forças que criam) desde o início e que, além de tudo, as ações estão umbilicalmente relacionadas à uma Justiça universal!

3) Homens da verdade anshei emet são aqueles que fizeram uma opção pela verdade, em buscá-la, em vivê-la com firmeza. No dizer de Gandhi "Satyagraha" (a verdade com firmeza). A verdade faz o homem, assim como na narrativa simbólica do "golen", o grande boneco de barro, feito por um rabino, na testa do qual (boneco) o rabino cunhou as letras ALEF/MEN/TAV formando a expressão EMET (verdade). Este golen era o defensor dos judeus nos guetos europeus! Todas as vezes que o rabino queria imobilizar o golen, tirava uma as letras! A verdade é uma opção que requer firmeza, resistência,  movimento criador!

4) E, finalmente, o ponto chave do aconselhamento de Itró: aquele que odeia a injustiça  son'ei vatsa. Aqui já não aparece a expressão "anshei" designativo de "homens genericamente considerados", mas de um tipo especial de pessoa que, além de possuir todas as três primeiras características, é alguém da AÇÃO, do AGIR, do TRANSFORMAR. É preciso "odiar/modificando a injustiça" son'ei vatsa, ou seja, um movimento "devir", constante. Sempre haverá injustiça e a este homem que deve julgar, a injustiça deve doer-lhe nos olhos, no corpo, nos músculos, na alma até, enfim, ferir-lhe o espírito! Ser um son'ei vatsa reúne esta percepção dolorosa, este senso de resistência, de luta constante, de um agir sem fim, contra toda e qualquer injustiça, pois toda e qualquer injustiça é, em qualquer tempo, um ataque frontal aos Elokhim (as forças da criação) que representam a mão do Eterno sobre o mundo. O son'ei vatsa deve ter o mesmo agir dos Elokhim. E agora, aqui, é oportuno lembrar de uma passagem do início da Torá (Bereshit/Gen 6:2) na qual os homens de valor, homens que julgavam, ali chamados de bnei ha'elohim (filhos de Elohim), mal traduzido por "filhos de D-us", eram considerados homens de valor que julgavam. A decadência da humanidade e o fim diluviano do mundo começou exatamente quando estes "juízes" perderam o senso de justiça, o "devir", decaindo desta "altura" e fazendo toda a terra entrar em perversão!

Eis a nossa resumida reflexão para esta Parashá!

Shabbat Shalom, 1º/2/2013

Pietro N Dellova, (Kenesset Scuola)

foto: Bimah/Sefer Torah/Aron Kodesh (Sinagoga/Kenesset Scuola)

Nessun commento: