alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







mercoledì 12 giugno 2013

JACOB GORENDER: UMA GRANDE PERDA!


Morre aos 90 anos o historiador Jacob Gorender

Morreu nesta terça-feira (11) aos 90 anos o historiador marxista Jacob Gorender. Entre suas obras mais importantes estão O escravismo colonial (1978), Combate nas trevas (1987) e A escravidão reabilitada (1990).

Nascido em Salvador, em 1923, Gorender foi um dos mais importantes historiadores brasileiros. Filho de um judeu ucraniano socialista, frequentou a Faculdade de Direito de Salvador, onde militou na União de Estudantes da Bahia, durante o início de 1940.

Gorender foi membro do PCB e, depois do golpe de 1964, fundou com Mário Alves, Apolônio de Carvalho e outros o Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR). Foi preso e torturado durante a ditadura militar e, ao deixar a prisão, largou a militância partidária para se dedicar à vida intelectual.

Mais recentemente, segundo informações da Editora Boitempo, ele se dedicava a estudar o Brasil dos anos Lula, numa perspectiva crítica.

O jornal Brasil de Fato publicou, em fevereiro deste ano, uma ampla reportagem sobre Gorender, com o título “Entre lutas e livros”, que pode ser consultada em sua página eletrônica. Sua vida foi marcada por estudo, lutas políticas e uma vasta produção acadêmica.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foi um dos primeiros a emitir nota pública, lamentando a morte daquele que sempre foi - di\ a nota - “um lutador do povo e intelectual comprometido com a classe trabalhadora e com a soberania do Brasil”. Gorender foi um defensor da Reforma Agrária, amigo do MST e participou da inauguração da Escola Nacional Florestal Fernandes (ENFF), em janeiro de 2005.

Gorender estava na UTI há um mês e meio. Segundo informações de sua filha Ethel, desenvolveu um quadro infeccioso que se agravou muito nos últimos dias, provocando seu falecimento aos 90 anos. Conforme desejo do próprio Jacob, seu corpo será sepultado no Cemitério Israelita do Butantã (Rua Eng. Heitor Antonio Eiras Garcia, 5530) - fone 3782 0910. A referência é o KM 15 da Rodovia Raposo Tavares. O corpo será sepultado às 10h do dia 12, quarta-feira. A família receberá amigos no velório do Cemitério, a partir das 8h.

Fonte: Agência Petroleira de Notícias, com informações do Último Segundo, Editora Boitempo e Brasil de Fato.

*

 

NOTA DO MST:

 

O MST sente profundamente a morte de Jacob Gorender, depois de enfrentar um quadro infeccioso que provocou o seu falecimento aos 90 anos. Um lutador destacado, incansável e profundamente comprometido com as causas do povo brasileiro que clama por transformações. Um intelectual irreverente e batalhador na luta das ideias em defesa da classe trabalhadora e em defesa de um Brasil soberano e independente. Portanto, perdemos um grande homem, um lutador, um intelectual e um amigo.

Gorender lutou corajosamente contra a ditadura militar, foi preso e torturado. Estudou profundamente a realidade brasileira, buscando compreender o passado colonial, reconstituindo a memória da resistência à ditadura. Foi um estudioso do marxismo e das experiências socialistas do século XX, bem como defensor incansável do socialismo como horizonte para a humanidade.

Ao menos três grandes obras dele influenciou a formação de militantes de esquerda no Brasil: O escravismo colonial; Combate nas trevas e Marxismo sem utopia. A caracterização do modo de produção do Brasil antes do século XX como escravismo colonial é fundamental para compreender a história e o peso da escravidão e do latifúndio na formação social brasileira.

Foi um defensor ativo da Reforma Agrária e um amigo do MST. Brindou-nos com sua presença e uma bela conferência “encharcada” de sua história de vida e de militância, durante o Seminário de Inauguração da Escola Nacional Florestal Fernandes (ENFF), em janeiro de 2005, quando refletimos sobre a importância da formação para a classe trabalhadora brasileira.

O MST lamenta a perda de Gorender e rende homenagens à sua trajetória de luta e compromisso com as mudanças estruturais no Brasil, procurando seguir seu exemplo de firmeza ideológica, de estudioso, de simplicidade, de coerência, de compromisso com a classe, de solidariedade e internacionalismo como um verdadeiro revolucionário.

Viva Jacob Gorender!


DIREÇÃO NACIONAL DO MST

 

*

Nessun commento: