alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







giovedì 24 dicembre 2015

SOBRE JESUS

SOBRE JESUS 
por Pietro Nardella-Dellova 

Jesus foi uma das figuras mais extraordinárias, das que nasceram e morreram sobre esta terra. Um libertário, diria, um anarquista no que de melhor tem um anarquista. Um amante-amado ao lado de uma mulher amante-amada. Um Mestre dedicado aos seus Amigos e Amigas. Alguém que sabia, em toda a dimensão, o que era comer e beber com seus alunos e alunas. Alguém que sabia, em toda a profundidade, quais as dores de todas as pessoas, seus anseios e fragilidades. 

Jesus, este meu querido irmão, duas vezes irmão, como Judeu e como Anarquista, de um honesto Judaísmo e um verdadeiro Anarquismo. Um amigo querido que jamais estenderia a mão contra quaisquer pessoas por questões teológicas, mas foi implacável contra Roma e contra os usurpadores do Templo (e da fé popular).

Jesus, o grande e estimado Mestre, foi tudo, tudo o que se pode querer e amar, tudo, menos o que os cristãos falam ou escrevem sobre ele - e em nome dele. Jesus foi abolicionista, antimilitarista, amava e convivia com prostitutas e miseráveis, assim como amava suas irmãs e irmãos, odiava quaisquer movimentos de acusação e punição. Foi o primeiro a compreender e, depois dele, Martin Buber (outro querido Mestre) que alguém (não sendo um doente mental)  pode praticar um crime quando está em sua menor resistência e maior excitação. Então, ensinava ele, aos doentes deve ser dado o tratamento; aos de menor resistência e maior excitação, uma convivência de fortalecimento e de simplicidade. Jesus jamais difamou sequer uma formiga e, nunca, nunca participaria de linchamentos públicos (ou privados). Jesus nunca foi (ou seria) autoritário (comunista ou capitalista).

Enfim, Jesus foi um exemplo de Judaísmo e Anarquismo Libertário, mas, sobretudo, de Humanidade. Oxalá o mundo o conhecesse profundamente!

Feliz Aniversário ao querido Irmão. Sua memória honra a todos os libertários!

© Pietro Nardella-Dellova 


____________________
Prof. Pietro Nardella-Dellova, Doutoramento em Sociologia e Direito pela Universidade Federal Fluminense, pelo PPGSD/UFF ", onde está encerrando pesquisa e Tese sobre Ideias Libertárias e o Direito Civil. Mestre em Direito pela Faculdade de Direito da USP, Mestre em Ciência da Religião pelo CRE-PUC/SP. Pós-graduado em Direito Civil e em Literatura. Formado em Direito e Filosofia. Professor de Direito Civil, Literatura, Ciência Política e Direitos Humanos desde 1990. Foi colaborador da Cadeira de Direito Romano para o tema “Estudos Comparados entre o Direito Hebraico e o Direito Romano” da USP. Professor da Graduação e Pós-Graduação de vários Cursos, entre os quais, da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, e da Faculdade de Direito da Universidade Federal, Niterói. Professor de Direito Civil e Direitos Humanos, bem como Coordenador do NUDAR - Grupo de Estudos e Pesquisas de Teorias Críticas e Direitos Humanos, da Faculdade de Direito Damásio/DeVry. É Poeta e Escritor com vários livros publicados. Membro da UBE – União dos Escritores, São Paulo, Membro da "Accademia Napoletana", Napoli e Membro ativista do Gruppo Martin Buber para o Diálogo entre Israelenses e Palestinos, Roma.

*
*

Nessun commento: