alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







giovedì 5 maggio 2016

BRASIL DOS BRASIL(EIROS) E DO FAST-FOOD

BRASIL DOS BRASIL(EIROS) E DO FAST-FOOD
por Pietro Nardella-Dellova
O Brasil (dos brasil-eiros) é o lugar - e o meio social apropriado do rótulo fácil. Tal é a superficialidade que todos são rotulados. É um tipo de formação que segue a ordem histórica: jesuítico-unidimensional, cocacolizado-republicano, automobilístico-desafinado, futebolístico-teológico, noveleiro-diuturno e neopentecostal-bíblico-demonizador e universitário-sinóptico.
Pensar, pensar de "pensare", "pensare" de colocar nos pratos da balança, enfim, refletir e escutar teses e antíteses nem pensar! Tudo é rótulo. É resposta etiquetada, é linha de produção de frango, é filosofia de fast-food, relação de fast-food, sexo de fast-food. É uma sociedade grosseira e tosca.
Certa vez, proferi uma Palestra sobre "Desenvolvimento dos Direitos Civis na América Latina", mencionando o "plagium" (submeter qualquer ser humano à condição de escravo). Ao final, um dos Professores presentes, um Doutor, afirmou: "vocês petistas só falam nisso". Petista? Petista por falar em Sistema Interamericano de Direitos Humanos?
Outra vez, ouvi de uma Professora (outra Doutora) que a defesa que se faz dos homoafetivos revela que o defensor é homossexual. Homossexual por defender Direitos Fundamentais a quaisquer seres humanos? É isso?
Nota interna necessária. Nada contra ser Petista ou Homossexual, apenas que o "rótulo", a "etiqueta", demonstra a absoluta incapacidade de pensar, raciocinar, refletir e de proferir algum tipo de juízo de valor.
Atualmente, em que os esgotos da sociedade foram todos abertos, digo, as veias da sociedade brasil(eira) estão expostas e jorrando material denso, exatamente o material que a formou (jesuítico-unidimensional, cocacolizado-republicano, automobilístico-desafinado, futebolístico-teológico, noveleiro-diuturno e neopentecostal-bíblico-demonizador, além de excitação por sinopses e resumos), falar-se em Constituição, em Direitos Fundamentais, em Direito Civil-Constitucional, em Análise Crítica, em Sistemas Global ou Regionais de Direitos Humanos, em Processos Emancipatórios, em Hermenêutica Crítica, enfim, apenas mencionar a Zetética, já é o suficiente para o estranhamento dos ouvintes e, na sequência, ouvir a sentença "muito" inteligente: "tudo isso é ideologia petista".
No Brasil (dos brasil-eiros) pensar, apenas pensar, já é, atualmente, uma "atividade" desprezivelmente perigosa. O melhor que se pode fazer, por estas plagas (se quiser sobreviver), é conectar-se a uma ou várias novelas (e delas falar), citar versículos bíblicos (com os olhos lacrimejantes e um sonoro sirikandalamás), defender a TFP, a Opus Dei, escolher um time de futebol (e dele falar) e começar, urgentemente, a fornecer fast-food editorial, digo, resumos e sinopses, cujo assunto não vá além de "conceitos", "artigos", "aspectos processuais" e, lógico, os inafastáveis "prazos".
© Pietro Nardella Dellova


*
*



Nessun commento: