alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







giovedì 11 agosto 2016

O 11 DE AGOSTO, O DIA DO PERU, O CEMITÉRIO, A POESIA E A CARICATURA VAGABUNDA

O 11 DE AGOSTO, O DIA DO PERU, O CEMITÉRIO, A POESIA E A CARICATURA VAGABUNDA
Pietro Nardella-Dellova
O 11 de Agosto é, historicamente, o dia em que os Cursos de Direito foram constituídos no Brasil (São Paulo e Olinda). Tornou-se, depois, o Dia do Peru (nome original para o atual Dia do Pendura) e, finalmente, Dia do Advogado. Continua sendo, não obstante, o Dia dos Cursos Jurídicos e, por extensão, Dia do Advogado, pois, sem dúvida, o Advogado e a Advogada são a maior expressão jurídica dentre os profissionais relacionados ao Direito.
No chamado Dia do Peru, os estudantes da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (As Arcadas), especialmente, os ultra-românticos, entre os quais, Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu e Fagundes Varella, saíam, como protesto contra a "elite paulistana" e contra o "trabalho escravo", pelas vizinhanças das Arcadas, na então São Paulo do século XIX, e furtavam perus para uma festa estudantil de caráter libertário!
No mesmo dia, com o peru e bebidas "fortes", dirigiam-se ao Cemitério da Consolação, onde passavam a noite e madrugada, em libertação sexual e festa sobre as tumbas dos avoengos paulistanos - até o sol nascer, lendo, de corpo e alma, os textos de Musset, Byron, os seus próprios textos e de outros Poetas Malditos!
Atualmente, muitos estudantes (de Direito) se reúnem e saem para jantar de graça (dia do pendura). Mas, isso acabou por ficar meio sem graça, pois a tradição manda que os Estudantes entrem em um Restaurante, jantem e, na hora do cafezinho, ergam-se declamando e interpretando Poemas ou proferindo um imponente Discurso para, ao final, entregarem ao dono do Restaurante uma Carta de Agradecimento (escrita e assinada por Diretórios Acadêmicos). Sem o "estilo" nem a declamação/interpretação de Poemas e, também, sem o Discurso substancial, o fato torna-se não mais que uma caricatura (bem vagabunda) que nada lembra, ou honra, a tradição libertária e, muito menos, tem a ver com a ideia de protesto, resistência à apaulistanização ou de libertação de dogmas jurídicos, religiosos e sociais!
Pietro Nardella-Dellova, 11 de Agosto, 2015

*
*
*

Nessun commento: