alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







sabato 13 agosto 2016

O IMPEACHMENT E A VITÓRIA DA CORRUPÇÃO

O IMPEACHMENT E A VITÓRIA DA CORRUPÇÃO
O problema do "impeachment" não é se Dilma fica ou não, mas que todo esse processo está viciado desde as origens. Não um simples vício instrumental, mas vício material e, ademais, vício político, pois os parlamentares, em sua maioria, decidiram em conluio expresso e desavergonhado que sufocariam o governo Dilma - e tiveram êxito nisso. A má-fé dos deputados e senadores marca, caracteriza e alimenta essa "coisa" toda. O que se vê - e o que se ouve, é fruto de um desavergonhado desprezo pela Democracia e pelo Estado Democrático. As regras e o sistema constitucional nada valem!
O processo de "impeachment" contra Dilma não chega a ser um clássico golpe contra um governo, com violência e armas, mas é uma "coisa", um monstrengo, uma bactéria que foi adoecendo o sistema, um vírus, enfim, um "modus dragão-de-komodo". Aos esclarecidos, esta expressão basta!
Alguns dizem: "o processo de impeachment é impecável". Em outra seara, a frase me faz lembrar que, não faz muito tempo, os maridos que estupravam suas esposas não respondiam por coisa alguma, pois marido e mulher estavam em união "legítima". Ou seja, estar formalmente casado descaracterizava o estupro! Hoje, um pouco mais civilizados, sabemos que maridos estupram - e ponto!
O fato de haver um excessivo cuidado com o procedimento do impeachment e que, reconhecemos, é inconteste, não demonstra respeito ao sistema jurídico - e político. Ao contrário, demonstra que há uma preocupação cuidadosa de dar "aparência" de processo honesto, jurídico e republicano! É teatro - da pior qualidade, e apenas o aplaude quem é desavisado, inocente, louco. drogado ou velhaco! A questão é o mérito do impeachment - e o mérito é a maior sujeira contra a Democracia!
Qualquer pessoa com alguma clareza deveria se perguntar: "O Jucá, o Renan e o Aécio Neves" vão mesmo julgar o processo de impeachment? Essas, e outras figuras, vão mesmo votar pelo afastamento de Dilma? Esses, e outros senadores, vão mesmo julgar Dilma? As gravações de Sérgio Machado, nas quais aparecem tais figuras "tramando" o afastamento de Dilma, não valem nada?
Por último, a questão para mim, que não sou petista, não é se Dilma fica ou não; se Temer é - ou não, um crápula na política. Como libertário não acredito em pessoa e, muito menos em "salvadores" da Pátria. Aliás, nem em Pátria acredito! Para mim, a questão é outra, maior e mais acima: há uma grave e violenta ruptura com o Estado Democrático! Isso ocupa, sim, minha reflexão, pois, faz poucas décadas, quando houve a ruptura democrática na Alemanha, o processo terminou com 16 milhões de exterminados nos campos de concentração. No Brasil, quando houve o "golpe" militar, em 1964, o país foi afundando em duas décadas de sombras e autoritarismo, cujos efeitos ainda estão presentes.
Sim, esse impeachment é uma ruptura com a Democracia - e abertas as portas do inferno, dele não vêm anjinhos. Mordido pelo "dragão-de-komodo", espera-se a morte, lenta e certa! É uma questão de lógica, de pensar bem, de raciocinar acima desse cocô "petista e antipetista", dessa coisa midiática: a ruptura trará o pior!
O impeachment de Dilma Rousseff não é a luta contra a corrupção, mas, o oposto: é a vitória plena e retumbante da corrupção! Os promotores do impeachment, desde Janaína Paschoal, Miguel Reale Jr, Eduardo Cunha, Carlos Sampaio, Michel Temer, Jucá, Renan, entre outros, do PSDB, DEM, PMDB, PT, e outros partidos, têm razões e motivadores diversos do que seria o "combate à corrupção". Seus motivos são a manutenção da Corrupção!

Pietro Nardella Dellova


*
*



Nessun commento: