alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







domenica 28 agosto 2016

PARA ALÉM DE PETISTAS E ANTIPETISTAS, ESTE IMPEACHMENT É UM ATENTADO

PARA ALÉM DE PETISTAS E ANTIPETISTAS, ESTE IMPEACHMENT É UM ATENTADO

Independentemente de gostar - ou não, de Dilma, está absolutamente claro e, além disso, demonstrado e provado, que Dilma não cometeu crime de responsabilidade.

De um lado, uma pífia Acusação "sem eira nem beira", desde a peça inicial, depoentes, informantes, até as últimas alegações: algo risível e, sobretudo, infundado. A Acusação não apenas é pífia, mas viciada, desde a origem, com a litigância de má-fé, sem contar que, qualquer minhoca o reconhece, os "juízes" do Senado Federal são partes promotoras, incentivadoras e instrutoras dessa "coisa" toda. No caso do Senado Federal, não se trata de "Magistratura" e, muito menos, de Magistratura digna: os senadores estão mais para militantes do Estado Islamista com sua própria noção de justiça e processo!

Do outro, quer gostemos ou não, há uma sólida e impressionante Defesa: ela é técnica, ética e constitucional, como todo arrazoado jurídico deve ser. Solidez e substância caracterizam a Defesa até aqui apresentada, enquanto, do lado da Acusação, nada substancial e, mormente caricaturizado.

Os que se manifestaram até aqui são de tipos já conhecidos, ou seja, antipetistas (incluam-se os batedores de panela, os carregadores de bonequinhos de plástico anti-Lula, a Veja, a Globo, a Acusação, a enxurrada (ou manada) dos Deputados Federais que se pronunciaram, os Senadores da Acusação e uma infinidade de "juízes facebookianos", bem como petistas (incluam-se os "fora Temer", a Defesa, os Deputados petistas e comunistas, os Senadores petistas e outros "juízes facebookianos"!

Mas, há um outro fenômeno interessante. Outro grupo que se apresentou, expôs, esclareceu e debateu sobre este "impeachment", que não é petista e, muito menos, antipetista, não pensa na defesa de Dilma nem em sua acusação: grupo que, numeroso, conta com juristas e analistas políticos, nacionais e internacionais. Este é o grupo que faz a diferença racional, pois não sendo petista, nem antipetista, não sendo de batedores de panela e, muito menos, de carregadores de bonequinhos de plástico, não fazendo parte dos "Fora Dilma" ou "Fora Temer" e não tendo sua cultura nascida ou adquirida nas redes sociais, manifestaram-se (e manifestam-se ainda) contra o Impeachment por considerá-lo, neste caso concreto, um atentado ao Estado Democrático de Direito e um perigo para a Democracia.

Então, apesar de ser desprezível a Acusação, bem como superior a Defesa, incomparavelmente superior, ou restar provado que não houve crime de responsabilidade, apesar dos petistas e antipetistas, interessa-nos, ou deveria nos interessar, mais, muito mais, a análise superior deste terceiro grupo, racional, democrático e, no caso concreto, contra o impeachment.

Pietro Nardella Dellova

*
*

lunedì 22 agosto 2016

O' SOLE MIO - Pietro Nardella-Dell'ova


MINHA ÚLTIMA NOTA SOBRE O IMPEACHMENT

Quem me conhece, já sabe - e sabe muito bem, que para os partidos políticos (todos) eu faço apenas um escarro! Política, para mim, é outra coisa. Sim, há diferença, e muita, entre os partidos políticos e a Política. Usando um recurso estilístico, diria que os partidos políticos brasil(eiros), assim como os sindicatos, são semelhantes ao esgoto, enquanto a Política e a Luta Operária formam alguma coisa como o sol e a lua: aquilo é lixo e isto, bem, isto é referência, é astro, é o acima. No esgoto, concentra-se tudo (com alguma exceção, quase tudo) o que não presta - no sol e na lua, a conversa é outra!

Relembrado isso, vale dizer algo mais. Algo mais sobre o impeachment da Dilma Rousseff. Não, não se trata de dizer uma vez mais o óbvio, ou seja, que tudo isso é a inversão absoluta de valores democráticos, que tudo isso é uma violência antidemocrática, que Eduardo Cunha, Michel Temer, Carlos Sampaio, Aécio Neves, Ronaldo Caiado, José Serra, Romero Jucá, Renan Calheiros, Gilmar Mendes, incluindo a Janaina Paschoal e o Miguel Reale Jr., e outros, deveriam, eles sim, estar presos por tramarem contra uma Democracia e contra uma Constituição. Mas, isso é papo pra gente grande e, por desgraça, não é o caso atual.

A questão, para mim, é pessoal, já que não consigo descer tão baixo ao ponto de ser um petista ou um antipetista. Há uma medida, consciente, a que me permito descer - quando necessário. E, vou dizendo logo, para eu aceitar minimamente o impeachment, eu precisaria fazer um sacrifício muito grande tipo emburrecer (no exato conceito de emburrecimento tratado por Theodor Adorno): precisaria esquecer valores das Ciências Políticas, valores jurídicos, valores constitucionais, e precisaria rasgar todos os filósofos de várias tonalidades ideológicas: liberais, anarquistas e marxistas. Mais do que isso, eu precisaria negar valores judaicos milenares. Eu precisaria rasgar todos os meus Profetas hebreus. E, neste momento, não estou nem um pouco predisposto a rasgar o que estudei e a abandonar o que sou, nem desprezar minha formação!

Por não querer negar valores judaicos, por não querer descer nem emburrecer, por não querer rasgar os meus filósofos (de todas as tendências) e, além disso, por julgar que as pessoas (que deveriam estar presas) acima citadas fazem parte do polo antidemocrático e abusivo, mantenho-me em uma dimensão acima e em uma linha onde me reconheça como agente crítico: considero o impeachment  e sua defesa, o ponto de baixo, decadente, pensado e processado no esgoto!

P.S.:

O texto acima de modo algum pretende provocar alguém ou desfazer do modo de pensar de alguém. Como libertário, sou aberto a todas as correntes e pensamentos, respeito todos os pontos de vista e todos os juízos de valores. Ocorre, entretanto, que o impeachment de Dilma Rousseff, não é um "pensamento" ou uma ideia diferente, e, também, não estou nada preocupado com ela (Dilma). O impeachment é um atentado contra mim e contra a Democracia e, por isso mesmo, não dá para tolerá-lo!

Pietro Nardella Dellova

*
*

PRINCIPESSA: Paolo Filippi (Sicilia) canta Pietro Nardella-Dell'Ova (Napoli)


PRINCIPESSA
Poesia di Pietro Nardella Dell'Ova (Napoli)
Musica Paolo Filippi (Sicilia)


(opera in siae Italia)
Conosci questo volo principessa ?
Volare cantare vivendo..
Andare verso il sole
Trovar la luna
Principessa
Principessa..
Ed abbracciare l'alba
E camminare
Verso acqua e baci
Conosci acqua del bacio
Senza fine
Principessa
Principessa..
VOLARE AL CIELO DELLA BOCCA TUA
E CONOSCERE LA TERRA
GIARDINI
LA MUSICA E POESIA
OGNI MOMENTO DEL NOSTRO VOLO...
Volare al sole tutta la giornata
Alla luna nella notte divina
L'amore dolce per tutta la vita
Principessa
principessa


Versi di Pietro Nardella Dell'Ova
dell'Accademia Napoletana


Musica di Paolo Filippi
opera in SIAE-ITALIA

sabato 13 agosto 2016

O IMPEACHMENT E A VITÓRIA DA CORRUPÇÃO

O IMPEACHMENT E A VITÓRIA DA CORRUPÇÃO
O problema do "impeachment" não é se Dilma fica ou não, mas que todo esse processo está viciado desde as origens. Não um simples vício instrumental, mas vício material e, ademais, vício político, pois os parlamentares, em sua maioria, decidiram em conluio expresso e desavergonhado que sufocariam o governo Dilma - e tiveram êxito nisso. A má-fé dos deputados e senadores marca, caracteriza e alimenta essa "coisa" toda. O que se vê - e o que se ouve, é fruto de um desavergonhado desprezo pela Democracia e pelo Estado Democrático. As regras e o sistema constitucional nada valem!
O processo de "impeachment" contra Dilma não chega a ser um clássico golpe contra um governo, com violência e armas, mas é uma "coisa", um monstrengo, uma bactéria que foi adoecendo o sistema, um vírus, enfim, um "modus dragão-de-komodo". Aos esclarecidos, esta expressão basta!
Alguns dizem: "o processo de impeachment é impecável". Em outra seara, a frase me faz lembrar que, não faz muito tempo, os maridos que estupravam suas esposas não respondiam por coisa alguma, pois marido e mulher estavam em união "legítima". Ou seja, estar formalmente casado descaracterizava o estupro! Hoje, um pouco mais civilizados, sabemos que maridos estupram - e ponto!
O fato de haver um excessivo cuidado com o procedimento do impeachment e que, reconhecemos, é inconteste, não demonstra respeito ao sistema jurídico - e político. Ao contrário, demonstra que há uma preocupação cuidadosa de dar "aparência" de processo honesto, jurídico e republicano! É teatro - da pior qualidade, e apenas o aplaude quem é desavisado, inocente, louco. drogado ou velhaco! A questão é o mérito do impeachment - e o mérito é a maior sujeira contra a Democracia!
Qualquer pessoa com alguma clareza deveria se perguntar: "O Jucá, o Renan e o Aécio Neves" vão mesmo julgar o processo de impeachment? Essas, e outras figuras, vão mesmo votar pelo afastamento de Dilma? Esses, e outros senadores, vão mesmo julgar Dilma? As gravações de Sérgio Machado, nas quais aparecem tais figuras "tramando" o afastamento de Dilma, não valem nada?
Por último, a questão para mim, que não sou petista, não é se Dilma fica ou não; se Temer é - ou não, um crápula na política. Como libertário não acredito em pessoa e, muito menos em "salvadores" da Pátria. Aliás, nem em Pátria acredito! Para mim, a questão é outra, maior e mais acima: há uma grave e violenta ruptura com o Estado Democrático! Isso ocupa, sim, minha reflexão, pois, faz poucas décadas, quando houve a ruptura democrática na Alemanha, o processo terminou com 16 milhões de exterminados nos campos de concentração. No Brasil, quando houve o "golpe" militar, em 1964, o país foi afundando em duas décadas de sombras e autoritarismo, cujos efeitos ainda estão presentes.
Sim, esse impeachment é uma ruptura com a Democracia - e abertas as portas do inferno, dele não vêm anjinhos. Mordido pelo "dragão-de-komodo", espera-se a morte, lenta e certa! É uma questão de lógica, de pensar bem, de raciocinar acima desse cocô "petista e antipetista", dessa coisa midiática: a ruptura trará o pior!
O impeachment de Dilma Rousseff não é a luta contra a corrupção, mas, o oposto: é a vitória plena e retumbante da corrupção! Os promotores do impeachment, desde Janaína Paschoal, Miguel Reale Jr, Eduardo Cunha, Carlos Sampaio, Michel Temer, Jucá, Renan, entre outros, do PSDB, DEM, PMDB, PT, e outros partidos, têm razões e motivadores diversos do que seria o "combate à corrupção". Seus motivos são a manutenção da Corrupção!

Pietro Nardella Dellova


*
*



giovedì 11 agosto 2016

O 11 DE AGOSTO, O DIA DO PERU, O CEMITÉRIO, A POESIA E A CARICATURA VAGABUNDA

O 11 DE AGOSTO, O DIA DO PERU, O CEMITÉRIO, A POESIA E A CARICATURA VAGABUNDA
Pietro Nardella-Dellova
O 11 de Agosto é, historicamente, o dia em que os Cursos de Direito foram constituídos no Brasil (São Paulo e Olinda). Tornou-se, depois, o Dia do Peru (nome original para o atual Dia do Pendura) e, finalmente, Dia do Advogado. Continua sendo, não obstante, o Dia dos Cursos Jurídicos e, por extensão, Dia do Advogado, pois, sem dúvida, o Advogado e a Advogada são a maior expressão jurídica dentre os profissionais relacionados ao Direito.
No chamado Dia do Peru, os estudantes da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (As Arcadas), especialmente, os ultra-românticos, entre os quais, Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu e Fagundes Varella, saíam, como protesto contra a "elite paulistana" e contra o "trabalho escravo", pelas vizinhanças das Arcadas, na então São Paulo do século XIX, e furtavam perus para uma festa estudantil de caráter libertário!
No mesmo dia, com o peru e bebidas "fortes", dirigiam-se ao Cemitério da Consolação, onde passavam a noite e madrugada, em libertação sexual e festa sobre as tumbas dos avoengos paulistanos - até o sol nascer, lendo, de corpo e alma, os textos de Musset, Byron, os seus próprios textos e de outros Poetas Malditos!
Atualmente, muitos estudantes (de Direito) se reúnem e saem para jantar de graça (dia do pendura). Mas, isso acabou por ficar meio sem graça, pois a tradição manda que os Estudantes entrem em um Restaurante, jantem e, na hora do cafezinho, ergam-se declamando e interpretando Poemas ou proferindo um imponente Discurso para, ao final, entregarem ao dono do Restaurante uma Carta de Agradecimento (escrita e assinada por Diretórios Acadêmicos). Sem o "estilo" nem a declamação/interpretação de Poemas e, também, sem o Discurso substancial, o fato torna-se não mais que uma caricatura (bem vagabunda) que nada lembra, ou honra, a tradição libertária e, muito menos, tem a ver com a ideia de protesto, resistência à apaulistanização ou de libertação de dogmas jurídicos, religiosos e sociais!
Pietro Nardella-Dellova, 11 de Agosto, 2015

*
*
*

lunedì 1 agosto 2016

I CONGRESSO DE DIREITOS HUMANOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS - OAB/SC - Subseção de Camboriú


I CONGRESSO DE DIREITOS HUMANOS
E GARANTIAS FUNDAMENTAIS

Prezados amigos e amigas, salve!

Estaremos em Santa Catarina, OAB/SC - Subseção de Camboriú, por ocasião do Dia Internacional dos Direitos Humanos (e Dia da Justiça), no "I Congresso Nacional de Direitos Humanos e Garantias Fundamentais".

O Evento se dará entre 8 e 10 de dezembro, com as seguintes participações:

Alexandre Morais da Rosa; Cezar Britto; Eloísa Samy Santiago; Flávio Antonio da Cruz; George Marmelstein Lima; João Marcos Buch; José Sérgio da Silva Cristóvam; Leandro Gornicki Nunes; Lenio Luiz Streck; Luiz Carlos Honório Valois Coelho; Luiz Fernando Ozawa; Paulo Roberto Iotti Vecchiatti; Salah H. Khaled Jr; Sandro Sell; Pietro Nardella Dellova

Na ocasião será prestada uma justa homenagem a Lenio Luiz Streck pelo conjunto de sua obra o contribuições ao Direito.

_________________________________
Para informações de todas as Palestras, Palestrantes/Currículos, Chamadas, Inscrições, Local e Datas, procure em:

Página do Evento:
https://www.facebook.com/events/567123576807596/