alla Filosofia Dialogica, Letteratura, Relazioni Internazionali, Scienze Interculturali, Diritti Umani, Diritto Civile e Ambientale, Pubblica Istruzione, Pedagogia Libertaria, Torah, Kabballah, Talmude, Kibbutz, Resistenza Critica e Giustizia Democratica dell'Emancipazione.



ברוך ה"ה







giovedì 22 giugno 2017

Vítimas da Lei: VIOLÊNCIA URBANA E VINGANÇA: 17/6/2017



PROGRAMA VÍTIMAS DA LEI
Tema
VIOLÊNCIA URBANA E VINGANÇA
apresentação de Mark Battis
Analise e comentário de Pietro N-Dellova

venerdì 16 giugno 2017

RESPOSTA PÚBLICA A UM IDIOTA DO PRIVADO

Uma pessoa, bem idiota, interpelou-me agora mesmo pelo inbox, após ler meu texto sobre "Movimento LGBTI" (que postei neste Blog, abaixo), questionando e dizendo (sic):
"Professor Dellova, eu li seu texto sobre os gays e lésbicas, e fiquei curioso para saber se o senhor é gay, porque se é, ficarei bem frustrado por saber que um Judeu, do povo eleito do Senhor dos Exércitos, é homossexual, porque isso é abominação" (sic)
Poucas vezes leio o "inbox" e, por acaso, dessa vez acabei lendo. Nada respondi, pois penso que essa resposta deva ser pública. Só os ratos se escondem.
Prezado senhor (que sequer conheço), penso que o senhor precisa urgentemente de algum tipo de tratamento, mas, fico feliz que tenha lido meu texto (certamente, o senhor tem suas razões para ler um texto cujo título é expresso). Fico feliz, pois não é um texto escrito apenas para quem está no Movimento LGBTI, mas, principalmente, para quem contra o movimento tem reservas, preconceitos e, como disse na sua mensagem, pragas!
Não sei o que senhor pensa dos Judeus. Imagino, pela sua mensagem, que não é coisa boa, pois qualquer um que ainda diga que o Povo Judeu é Eleito, Escolhido, deve ter algum problema - e grave! Pior fica quando alguém, como o senhor, diz que o Povo Judeu fora eleito pelo "Senhor dos Exércitos". Penso que o senhor deve passar o dia todo pensando em guerra, violência e, talvez, como matar seus vizinhos. Provavelmente, o senhor deve ser daqueles grupos que desejam, ardentemente, que Israel esmague os palestinos!
Enfim, não sei que tipo de porcaria o senhor anda lendo (e em quem língua), mas, vejo que precisa de cuidados especiais urgentemente.
Prezado senhor, não sou gay, e não vejo qualquer tipo de abominação nisso (seja lá o que for esta expressão "abominação"). Não sou gay apenas porque não sou gay. Se fosse, não seria diferente em nada, e não teria qualquer problema com a minha sexualidade. Aliás, não tenho! Talvez, apenas talvez, aqui caiba um esclarecimento do porquê defender direitos do grupo LGBTI. Por duas razões básicas: primeiro, porque sou um defensor e militante dos Direitos Humanos; segundo, porque não sou um bosta no mundo.
Por último, ser Judeu faz de mim uma pessoa responsável e ética (nunca estupidamente moralista), não porque algum "deus" me tenha escolhido, mas porque pessoas como o senhor acham que "algum deus me escolheu", e eu preciso diuturnamente provar que isso é a plena estupidez e transbordante perversidade!
(Pietro N-Dellova)
*
*

GLS, LGBT, LGBTTTIS, LGBTQ, LGBTQI, enfim, MOVIMENTO LGBTI

Tenho muitos amigos e amigas, alunos e alunas, orientandos e orientandas, direta ou indiretamente envolvidos e envolvidas com o movimento LGBTI e, logicamente, seus direitos fundamentais e humanos, aos quais apoio porque defendo e milito pelas diversidades, pluralidades e direitos horizontais.
Desde os movimentos GLS até os abrangentes LGBTTTIS, parece-me que a luta pela conquista, manutenção e afirmação de direitos, não tem fim. Aqui, utilizo o termo LGBTI (usado pelos organismos internacionais, em especial, ONU).
São muitas as questões e aspectos deste movimento. Aqui, interessa apenas o aspecto de direitos plurais e direito à diversidade. Vejo o movimento, ao lado de alguns outros, como legítimo, autêntico e humano. É uma história dentro da História. Lilith e Saphos, enquanto mulheres, lutaram por direitos iguais. Os seres humanos transformados em escravos - e coisas, lutaram pela quebra das cadeias e da coisificação. Estrangeiros lutam por direitos iguais. Proletários lutam por direitos sociais. Oscar Wilde imaginou uma sociedade emancipada e foi por ela condenado (por conta de sua sexualidade). Mulheres (esposas) lutaram para terem direitos iguais a de seus maridos. Concubinas lutaram para serem reconhecidas como titulares de direitos familiares, assim como seus filhos.
Um dos obstáculos mais duros aos direitos humanos, por desgraça, tem sido as religiões. Por quê? Porque imaginam-se com a verdade única, com direito a impor ordens, legislar sobre a vida das pessoas. Gosto de estudar as religiões, e elas têm sido meu objeto de pesquisa faz anos, mas não a tolero no cenário político - de modo algum! Religião não é lei, é crença e cultura - e só! Há outros obstáculos!
Enfim, a cada ano, os grupos ligados a este autêntico movimento social, organizam e fazem suas "paradas", como manifestação de sua alegria, de seu protesto, de seus direitos e, principalmente, a fim de permitir à sociedade enxergar por outros ângulos, para além do quadrado religioso, do jurídico-patriarcal e dos preconceitos que formam a mente, o coração e o comportamento de uma grande, imensa, parcela da sociedade. A religião e o direito não podem "enquadrar" seres humanos, pois seres humanos são plurais, diversos: cada qual é um mundo!
Eu, como Professor de Direitos Humanos e de Direito Civil, como Judeu e como Poeta, venho lutando pela liberdade, igualdade e solidariedade entre pessoas e entre povos (escrevi o primeiro texto tratando dos direitos matrimoniais de homossexuais em 2000, publicado em Jornais, quando ainda escrevia colunas para a Folha de São Paulo e na Z Magazine, e, na mesma época, tratei do assunto no meu Programa de Rádio "Café e Direito e, em poucos dias retornarei ao assunto em nosso Programa "Vítimas da Lei", exibido pela Band-TV). Venho lutando pela emancipação humana e pelo reconhecimento de direitos a todo ser humano. Meu mundo não é unidimensional nem retilíneo, mas pluridimensional, circular, dialógico - e nele cabem todos. Penso e defendo um mundo libertário.
Finalmente, a todos e todas que participarem das novas Paradas marcadas para esta semana, desejo sucesso, força, alegria, festa, amplitude, emancipação, respeito, criatividade e, acima de tudo, humanidade!
(Pietro N-Dellova)
Doutoramento pelo PPGSD-UFF. Pesquisador pelo PROCRE-PUC/SP. Mestre em Direito pela USP. Mestre em Ciência da Religião pelo PROCRE-PUC/SP. Pós-graduado em Direito Civil e Processual Civil. Pós-graduado em Literatura. Formado em Filosofia e Direito. Professor de Ciência Política, Direito Civil-Constitucional e Direitos Humanos. Coordenador do Grupo NUDAR - Teorias Críticas Aplicadas ao Direito. Poeta e Autor de vários Livros. Coordenador temático e Comentarista do Programa "Vítimas da Lei", exibido todo sábado pela Band-TV. Membro da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB, do Centro Cultural e Social (judaico) Bnei Chalutzim, do Gruppo Martin Buber, de Roma (para o Diálogo entre Israelenses e Palestinos), e da Accademia Napoletana (Napoli).

La falsa felicidad en las redes

Bill Maher A GERAÇÃO SELFIE

lunedì 12 giugno 2017

CULTURAL EXHIBITION "SYNPHONY OF COLORS AND LETTERS" by Ana Luisa Kaminsky and Pietro Nardella Dellova


CULTURAL EXHIBITION SYNPHONY OF COLORS AND LETTERS Paintings by Ana Luisa Kaminsky Poetry by Pietro Nardella-Dellova _________ Special Hall The International Congress of Human Rights Florianópolis, SC

Vítimas da Lei, Band TV: CORRUPÇÃO - com Mark Battis e Pietro Dellova

Vítimas da Lei, Band TV: CORRUPÇÃO E SEUS REFLEXOS 
Apresentação de Mark Battis; Análise e Comentário de Pietro N-Dellova 
Participação especial da Dra Adelaide Albergaria 


sabato 10 giugno 2017

O ESGOTO E O LIXO UNIDOS CONTRA O BRASIL (Pietro N-Dellova)

O ESGOTO E O LIXO UNIDOS CONTRA O BRASIL
(Pietro N-Dellova)

Por que o "MBL", "Revoltados Online", "Movimento Vem Pra Rua", "Força Sindical" e outros grupos igualmente captadores de desavisados, não convocaram seus "adeptos" nem foram para as ruas ou diante do TSE no dia de ontem? Porque obviamente o PSDB, o PMDB e o DEM não os contrataram dessa vez. Todavia, foram contratados (e pagos) ao tempo do Impeachment de Dilma Rousseff.

Por que a sra Janaina Paschoal não protocolizou ainda um Pedido de Impeachment contra Michel Temer, já que gosta do título de "Senhora da Decência"? Porque obviamente o PSDB não a contratou, como fez ao tempo de Dilma Rousseff, por 40 mil reais. Ademais, essa coisa toda, indecente e corrupta, representada por Michel Temer interessa diretamente ao PSDB.

E, finalmente, por que a CUT e outros Movimentos (ditos de esquerda) não foram para as ruas ontem nem se postaram diante do TSE, a fim de exigirem um Julgamento minimamente decente? Porque interessa ao PT (não tem a ver com Dilma) a demonstração de que sua Campanha de 2014 foi super honesta. O Julgamento de ontem, não reconhecendo abuso econômico ou político, e salvando Temer (sim, apenas Temer, pois Dilma já não está entre os mortais!), interessa ao PT. É mais fácil manter Temer no poder (destruindo direitos de toda a sociedade), se isso pressupõe o reconhecimento de que o PT agiu corretamente, embora, faz tempo, tenha perdido a decência.

Então, o que temos? O Julgamento de ontem, cujos Votos "rasos e miseráveis" dos srs Napoleão, Admar, Tarcísio e G. Mendes, salvaram Temer e, por via oblíqua, estabeleceram alguma ideia de honestidade e decência nas campanhas do PT.

Ao final, "MBL", "Revoltados Online", "Movimento Vem Pra Rua", "Força Sindical" e outros grupos igualmente captadores de desavisados, bem como os grupos ligado à CUT e, pessoas como Janaina Paschoal, não merecem mais que o esgoto da História. Temer, hoje, representa, direta ou indiretamente, todos eles, por motivos e interesses diversos. Estão unidos contra o Brasil e contra a Constituição Federal.

Ao povo, as batatas, as novelas, os jogos de futebol e as inúmeras babaquices facebookianas!


(Pietro Nardella-Dellova)

________________
Prof. Pietro N-Dellova. Doutoramento pelo PPGSD-UFF. Pesquisador pelo PROCRE-PUC/SP. Mestre em Direito pela USP. Mestre em Ciência da Religião pelo PROCRE-PUC/SP. Pós-graduado em Direito Civil e Processual Civil. Pós-graduado em Literatura. Formado em Filosofia e Direito. Professor de Ciência Política, Direito Civil-Constitucional e Direitos Humanos. Coordenador do Grupo NUDAR - Teorias Críticas Aplicadas ao Direito. Autor de vários Livros. Membro da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB, do Gruppo Martin Buber, de Roma, e da Accademia Napoletana (Napoli).

O TSE POR UM ÂNGULO CRÍTICO E PROATIVO (Pietro N-Dellova)

O TSE POR UM ÂNGULO CRÍTICO E PROATIVO
por Pietro Nardella-Dellova
Podemos olhar os srs. Napoleão, Admar, Tarcísio e G. Mendes, e nos matarmos, todos, de tristeza e frustração, observando que há "coisas do mais baixo". Mas, podemos, se quisermos, enxergar os Ministros Herman Benjamin, Luiz Fux e Rosa Weber e, com mais inteligência, compreender que há "coisas do alto".
A peça de Herman Benjamin (por ele mesmo preparada detalhadamente, tanto do ponto de vista fático como técnico-jurídico), bem como a exposição de Luiz Fux (praticamente sem leitura) e, em menor grau de elaboração, a de Rosa Weber, demonstram que é possível um "certo" Direito.
O sr. Napoleão (tenho dificuldade, agora, para dizer "Ministro") logo de cara começou a vociferar, no início da sua fala, sobre o caso envolvendo "alguém" com envelope e tal. Primeiro, que sua fala é ridícula e, ainda mais ridícula se verificarmos o contexto. Vejam o que tem de estúpido em sua fala: em tempos de "whatsApp", uma pessoa (que ele disse ser seu filho), sem roupas adequadas (?) vai levar envelope com fotos? Isso aconteceria (não no caso de roupas inadequadas, mas de envelope com fotos) lá pelos anos 70 e 80. Não hoje. Ninguém leva "fotos" em um envelope, especialmente no TSE, no momento em que está ocorrendo um Julgamento de grande importância. Por último, ainda em relação a ele, pois havia uma relativa dúvida sobre como ele votaria. Pioremos a situação: quando ele demonstrou não ter "seu voto" disponibilizado e sequer preparado, rindo... Acreditar que seu filho (filho de um Juiz) foi ao TSE sem roupas adequadas, no momento desse Julgamento e, pior, com um envelope levando "fotos", é assinar um atestado de estupidez. O sr. Napoleão deve pensar que estava se dirigindo a asnos! Bem, quando o sr. Napoleão começou com essa fala (de e para asnos), já sabia que seu Voto seria contra o Direito! A situação ficou ainda mais ridícula com o "apoio" do sr. Gilmar Mendes e, dez vezes pior, quando suspendeu a sessão que apenas havia iniciado. Qual a razão de suspender a sessão? Dar um tempo para H. Benjamin pensar o que diria (em seu Voto pós-envelope?), dar um tempo para um café e acerto de falas entre Mendes e Napoleão? Enfim, tanto a história ridícula do envelope, do filho sem trajes e, agora, da suspensão da Sessão..., tudo isso e mais, é alguma coisa do "pio", do mais "baixo" e do mais "vil" ocorrido no TSE, ontem.
Nos casos de Admar e Tarcísio, não restam dúvidas que seus Votos seriam, igualmente, contra o Direito (a favor de Temer), pois foram escolhidos a dedo, afinal, até as minhocas de Brasília sabiam dos seus Votos...! Gilmar Mendes é o pior de todos: ofendeu Herman Benjamin logo no primeiro dia; ofendeu o MP, ironizou o Voto de Benjamin, está ligado ao PSDB, principal interessado na manutenção de Temer (e salvação de Aécio), antipetista (e por isso ele mesmo reabriu o Processo no TSE ao tempo de Dilma) e um homem indigno de estar no STF e, agora, no TSE. Todos sabiam como seria seu Voto, pois todos sabem qual é seu comportamento!
Mas, neste momento, prefiro voltar minha reflexão à primorosa peça jurídica produzida por um Jurista, digno da Magistratura, digno do STJ e digno do TSE: Ministro Herman Benjamin. Prefiro ainda lembrar da exposição do Ministro Luiz Fux.
Apesar dos srs Napoleão (e sua loucura), Admar e Tarcísio (suspeitos até a raiz) e de Gilmar Mendes (sem mais palavras!), ainda há Juristas, Juristas dignos de atuarem no Direito e em face de uma das mais bem elaboradas Constituições.
Ontem, no TSE, venceu de fato (não de direito) a loucura, o antijurídico, o anti-constitucional, o absurdo, o ridículo, o raso, a avareza, o crime, o desvio, a pequenez e, lógico, o "envelope" para o sr. Napoleão! Mas, para quem é Jurista (de verdade) e vive ensinando o Direito, três Votos a favor do Direito e da dignidade do TSE, bem como da Constituição Federal, demonstram que estamos no caminho (sem envelopes), com profundidade técnica e ética!
Prof. Pietro N-Dellova. Doutoramento pelo PPGSD-UFF. Pesquisador pelo PROCRE-PUC/SP. Mestre em Direito pela USP. Mestre em Ciência da Religião pelo PROCRE-PUC/SP. Pós-graduado em Direito Civil e Processual Civil. Pós-graduado em Literatura. Formado em Filosofia e Direito. Professor de Ciência Política, Direito Civil-Constitucional e Direitos Humanos. Coordenador do Grupo NUDAR - Teorias Críticas Aplicadas ao Direito. Autor de vários Livros. Membro da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB, do Gruppo Martin Buber, de Roma, e da Accademia Napoletana (Napoli).

domenica 4 giugno 2017